Experiência em Homestay Vale a Pena?

Gente, quem é que nunca se questionou se vale ou não a pena ficar em homestay? Ou então se seria melhor juntar com amigos para alugar um apartamento? Se você fechar com a Egali, você tem a opção das Egali Houses em algumas cidades pelo mundo… enfim, são muitas opções que te deixam um pouco perdido. E por isso estou aqui para contar como foi a minha experiência em homestay em Toronto! 😊

Primeiro, vale ressaltar que a homestay que eu fiquei não foi através da escola e sim através da agência. A Egali tem esse serviço diferenciado que, na hora da compra, eu achei mais interessante (eles disseram que as casas teriam WiFi e máquina de lavar garantido – e outras casas de família poderiam não ter). Apesar de não ter como escolher absolutamente nada** a respeito da sua homestay (localização, quantidade de pessoas, se tem animais, crianças etc etc. Acho que uma das coisas que você é capaz de solicitar é se você precisa de alguma alimentação um pouco diferenciada, como “você não come produtos que tem lactose”, ou “você é vegetariano”, pode ser que algumas famílias não devam se interessar por alunos com essas particularidades).

(** Na hora da compra o consultor comercial me falou que eu poderia dizer alguns detalhes, por exemplo: se eu preferia uma casa com animais mas não queria crianças, mas o consultor operacional, na hora que eu fui argumentar, me disse que isso não era possível.)

Eu recebi as informações sobre a minha homestay um pouco mais de 10 dias antes da minha chegada no Canadá. Pude ver algumas fotos da casa, localização, nome e integrantes da família – juntamente com a idade e ocupação de cada um (mas somente os donos da casa, não veio informações sobre outros intercambistas). Também me enviaram uma relação de informações com meus direitos e deveres na casa, coisas que eu não era obrigada a fazer e coisas que eles esperavam que eu fizesse. Por exemplo: se eu quisesse levar uma amiga na casa, eu tenho que perguntar antes; era pra eu avisar se eu não fosse jantar; perguntar em cada homestay como seria o processo de uso da lavanderia… uma lista enorme de regrinhas a serem seguidas.

homestay-em-toronto

Também havia uma sugestão de transporte público de como ir da casa até a Stafford House. Bom, acredito que a única coisa que eu fiquei um pouco insatisfeita sobre o serviço prestado pela agência é que eles garantiam que as casas ficavam até 45 minutos*** – de transporte público – da casa até a escola. E comigo não foi muito bem assim. A minha homestay ficava em Scarborough e, se você já pesquisou um pouco sobre o mapa de Toronto sabe que é uma região beeeeem afastada de downtown (centro) e de qualquer outro lugar. Acho que durante toda a minha estadia, não houve um dia em que eu consegui fazer o trajeto em menos de 45 minutos – mas ó, estou levando em consideração desde o momento que eu saía de casa até o momento que eu chegava na estação da escola. Acho que o mínimo foi um dia que saí de casa das 7h30 e cheguei na escola umas 8h20.

***Eu sei que no próprio site da Egali eles prometem até 1 hora de transporte público, inclusive achei esse post aqui onde tem os tipos de hospedagens que eles trabalham. Mas, eu recebi um material por e-mail a respeito das hospedagens de Toronto dizendo que as casas de família estariam até 45 minutos de distância. Vocês podem ver pela imagem abaixo nos “Diferenciais”. 🙂

experiencia-em-homestay

Bom, e por que eu não reclamei? Porque fiquei com medo de me mandarem para uma casa ainda mais longe, ou que eu não gostasse e porque isso não era um motivo grave (eles só trocam a homestay se for um motivo plausível, e não simplesmente por “não gostar”). Apesar de ser um pouco mais demorada, a minha ida pra escola era bem simples: eu pegava um ônibus que ia diretamente para a estação de metrô York Mills e eu só tinha que andar mais 2 estações de metrô até a estação da escola). Então, apesar de ser mais longe, não me dava “trabalho” – foi uma questão de escolha e, apesar de ter me incomodado a distância, não achei de jeito nenhum que foi um motivo para eu reclamar e pedir para mudar de casa. 😉 Inclusive, Scarborough é muito agradável e eu fiquei bem pertinho do Scarborough Town Centre (shopping gigante que tem todas as lojas da vida! Se você vai ficar por aqui, vale a pena dar um pulo e conferir as lojas).

Mas enfim, eu fui para uma casa que os moradores eram um casal de idosos – 69 e 70 anos. Eles são das Filipinas e extremamente agradáveis! Acho que o principal motivo de ficar em homestay é porque você consegue praticar o inglês no dia a dia e não somente na escola. Meu papa e minha mama foram absurdamente dedicados e transformaram minha estadia na mais prazerosa e tranquila que eles conseguiram. Desde o primeiro minuto eu já recebi as cópias das chaves da casa, então não teria problemas com horário e etc.

Eu fiquei em quarto individual. Foi um quarto pequeno, aconchegante e com um espaço generoso pra eu colocar minhas roupas! Tinha uma cama de solteiro, escrivaninha, armário, espelhos… estava com medo sobre dividir banheiro, mas eu só dividi com uma menina da Finlândia, então foi tranquilo e era bem limpinho. Não tenho reclamações. Sobre a limpeza do quarto eu achei meio confuso, eu até hoje não entendi se eu tinha ou não direito a limpeza do quarto. Meu quarto foi limpo 2 vezes quando eu pedi para limpar, então, nesse momento, minha hostmother disse que quando eu fosse para a escola no dia seguinte ela faria isso para mim porque ela usava produtos específicos. Então, não entendi se isso não estava incluso e ela me “agradou” ou se isso é algo que eles não dão muita importância aqui. (Ah, mas cabe falar que como na maioria das casas em Toronto você tem que tirar o sapato pra entrar, a casa se mantém muito mais limpa e, consequentemente, sem sujeitas/poeiras e etc. Por isso foi tranquilo que meu quarto fosse limpo somente 2 vezes).

quarto-homestay
(Do lado esquerdo da foto é o armário, de frente pra cama).

Sobre a comida eu tive muita sorte: não tinha horário para comer, eles não serviam meu prato (como eu vi alguns outros intercambistas falando) e sempre perguntavam se tinha algo que eu gostava, algo que eu queria comer. Por exemplo: eu comentei que adorava hambúrguer e que tinha ido comer outro dia. Na semana seguinte a mama se programou e comprou carne pra fazer hambúrguers pra mim! ❤ Comprou pão, queijo e aqui tinha maionese e ketchup. Achei fofo ela se importar com meus gostos e não somente querer me introduzir a cultura deles! Mas acho que isso vai depender muito de família pra família mesmo, porque eu ouvi muitos relatos diferentes na escola – mas nenhum negativo.

Conversando com algumas pessoas que optaram pela Egali House, um dos motivos foi que eles ficaram com medo da falta de privacidade da homestay. Bom, eu estava com o mesmo pensamento antes de ir pra Toronto. Mas quando eu ainda estava conversando para fechar o contrato, o consultor comercial me falou uma frase que ficou marcada “é uma relação comercial. Você vai pagar para morar na casa deles, você terá deveres e direitos, do mesmo jeito que eles”, então, assim, eu acho que aquelas histórias que o pessoal da homestay tiram a privacidade, te impedem de fazer alguma coisa, devem acontecer quando a pessoa é jovem (tipo está fazendo um high school) ou alguma situação parecida. Eu, Ana, não aceitaria que ninguém ficasse me dando ordens ou me limitando. Mas também acho que tudo vai do bom senso! Você não faz na casa dos outros o que não gostaria que fizesse na sua casa – é a relação de convivência mesmo.

Outro detalhe que eu não sabia e pude perceber na minha estadia em Toronto foi que, geralmente, a casa que recebe intercambistas nunca tem só um intercambista. Na minha casa, quando cheguei, tinha uma mulher da Finlândia e umas semanas depois chegou uma menina do Vietnã. E ouvi relatos de outras casas que chegavam a ter até 7 intercambistas (um de cada nacionalidade).

Sobre a questão de lavar roupas, em minha homestay, eu mesma lavava minhas roupas. Mas como era isso? Quando eu queria lavar, eu chamava algum responsável, ele me acompanhava, eu colocava as roupas na máquina e ele cuidava do resto. Quando acabava com a máquina, ele me chamava para passar as roupas para a secadora durante 2 minutinhos (se fosse mais, as roupas poderiam encolher). Depois eu colocava as roupas para secar. Era assim que eu lavava minhas roupas! Sempre com o responsável por perto, mas eu que colocava a mão nas minhas roupas, sabe? Então era bem simples. Mas ouvi muitos relatos que as hostmothers de outros intercambistas lavavam para eles. Acho que quando você chegar na casa, você pode perguntar como é o procedimento e eles vão te informar. 😊

Eu achei a experiência em homestay extremamente válida! Ter contato com pessoas que falam inglês diariamente foi incrível, porque mesmo nos dias que eu não saía de casa (as vezes no domingo) eu sempre tinha contato com o idioma. Eles faziam questão de conversar, fazer perguntas pra fazer eu falar mesmo. Acho que se você tem interesse em fazer um intercâmbio por um período mais curto de tempo, essa é uma excelente opção para você fazer uma imersão maior no idioma e poder aproveitar ainda mais sua estadia fora – além de que, a comodidade de ter comida pronta é muito bom!

Mas eu não digo que foi perfeito – porque acho que perfeito nada é. Algumas vezes, eu chegava cansada em casa e não queria conversar, mas eles se mostravam muito sociáveis e eu “tinha” que fazer uma sala por educação. Mas isso pode acontecer em qualquer lugar, né?!

Se eu tenho uma dica para dar é: seja você mesmo. Não faça nada contra vontade, você irá viver um dos melhores momentos de sua vida, em outro país, com pessoas que você não conhece. Você tem que se sentir confortável e feliz com todas as suas escolhas! 😊

Com certeza a minha experiência em homestay agregou muito mais, de acordo com meu objetivo (que era aprimorar a língua) do que se eu tivesse ido para Toronto e ficado em uma casa com estudantes brasileiros. Esses detalhes do dia a dia fizeram total diferença e, além de tudo, conheci pessoas incríveis! Eles me acolheram de verdade e com certeza jamais esquecerei dos bons momentos que passamos juntos.

Estou de partida nos próximos dias e já estou com o coração cheio de saudade! <3

Sintam-se a vontade para perguntas. Ficarei feliz se eu puder ajudar! 😉

2 comentários em “Experiência em Homestay Vale a Pena?

  1. Oi Ana!

    Adorei tua experiência com a homestay, apesar de ter achado estranho a mama te esperando pra ir embora, claro que ela queria ser prestativa, mas ainda assim eu me sentiria um pouco ‘sufocada’ por mais que tenha sido no primeiro dia hahahahaha como você mesma disse, no intercâmbio você quer ser o mais independente possível.
    Eu optei ficar na egali house por vários motivos, entre eles a privacidade e a liberdade, na egali house também tem regras, como na homestay, mas tenho a impressão que dá uma sensação maior de liberdade, também fiquei receosa com o fato de querer praticar meu inglês todo dia, coisa que na homestay é garantido, porém na egali house tem vários alunos de outras nacionalidades, acho que poderei praticar meu inglês diariamente. O lado positivo da homestay, ao meu ver, é você conviver com hábitos e costumes canadenses, ter a experiência de morar com uma família de outro país, por mais que no seu caso eles serem estrangeiros, ainda sim você absorve o dia a dia dos canadenses.

    Tudo de bom pra você 😀

    1. Oi, Lara! Que bom que gostou do meu relato e não me julgou por eu ter achado isso bem esquisito do meu primeiro dia de aula! Hahahaha Foi estranho mesmo, se essa situação acontecesse hoje eu reagiria diferente, mas tá bom, foi um aprendizado! 🙂
      Com certeza, muitos alunos optam pela Egali House exatamente por isso! Eu acho que você não vai se arrepender não. Depois você me conta o que achou da experiência! Eu sei que na Egali House tem muito brasileiro – não vi eles comentando de pessoas de outras nacionalidades mas deve ter mesmo!
      Mas minha dica é para vc tentar falar o máximo de inglês que vc conseguir! Junte com pessoas de outras nacionalidades, não faça somente amigos brasileiros… tente incluir alguém da turma que não saiba falar português, assim vc tem q se esforçar pra sempre falar o idioma 🙂

      Tudo de bom pra vc também!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *